Enen no Shouboutai

Enen no Shouboutai

Estúdio: David Production
Direção: Yase Yuki
Roteiro: Haishima Gakuto
Baseado em um mangá por Ookubo Atsushi
Número de episódios: 24
No ano 198 da Era Solar em Tóquio, bombeiros especiais lutam contra um fenômeno chamado “combustão humana espontânea”, em que seres humanos são transformados em criaturas em chamas chamadas “Infernais”. Enquanto os Infernais são casos de primeira geração de combustão humana espontânea, as gerações posteriores possuem a capacidade de manipular as chamas, mantendo a forma humana. Shinra Kusakabe, um jovem que ganhou o apelido de Pegadas do Diabo por sua habilidade de acender seus pés em chamas, junta-se à Companhia Especial de Fogo 8, que é formada por outros usuários de chamas que trabalham para extinguir os Infernais que encontrarem.


Fire Force é muito bonito e tem uma ótima animação. E acaba aqui todos os elogios que eu tenho para o primeiro episódio desse anime.

Sinceramente, eu não devia escrever sobre. Não há muito o que falar sobre fora a parte técnica e eu raramente foco nisso. Quer saber o que é Fire Force? Pensa no último shounen genérico que você viu. Agora substitua o poder que eles usavam por fogo. Pronto, você tem Fire Force.

Protagonista quer ser herói.
Protagonista tem passado trágico e vira órfão.
Protagonista é ostracizado pela sociedade e chamado de demônio.
Menina “forte” que tem personalidade romântica.
Menina curadora que é salva pelo protagonista no primeiro episódio.
Soco, chute, bicho do mal morrendo.

Isso é Fire Force.

Literalmente a única coisa diferente é que o protagonista quando fica nervoso, sorri. O que é uma desculpa pro autor desenhar o sorriso do Soul Eater em um personagem que não tem a mesma personalidade.

***

Se eu tiver que pensar em algo que gostei nesse primeiro episódio de Enen no Shouboutai, nada parece ter sido mérito da fonte. Repleto de tropes e clichês de shounen, tudo que foi apresentado nesse episódio parece ser só uma leve variação de outras obras do gênero.

O que impressiona em Enen, embora, é o nível de produção e direção. Feito pelo estúdio renomado por sua adaptação de Jojo’s Bizarre Adventure, DavidPro, mas carregado por veteranos da Shaft, o anime vai de cenas de ação dinâmicas à shots ambiciosos para representar o drama do protagonista. Existe até mesmo a preocupação em animar o fogo de forma diferente, o principal elemento “mágico” da narrativa, dependendo da habilidade de cada personagem. Todos os elementos da obra se apresentam de uma forma majestosa nessa adaptação.

Vindo do mesmo autor de Soul Eater, um shounen carismático e bem único, é realmente decepcionante que não tenha nada de interessante para se falar sobre Enen além disso.  Ao mesmo tempo,  fico grato pelo seu nível de produção, pois parece ser a única forma de apreciá-lo.