Carole & Tuesday

Carole & Tuesday

Estúdio: Bones
Direção: Watanabe ShinichiroHori Motonobu
Roteiro: Watanabe Aya
Anime original
Número de episódios: 24
Cinquenta anos se passaram desde que a humanidade começou a migrar para a nova fronteira: Marte. É uma época em que a maior parte da cultura é produzida por IAs e as pessoas se contentam em ser consumidores passivos.

Sucateando para viver na metrópole de Alba City, Carole trabalha meio período enquanto sonha em se tornar uma cantora, mas sempre sentiu que está algo faltando. Uma garota nascida em uma família rica na cidade de Herschel, Tuesday sonha em se tornar uma cantora, mas ninguém ao seu redor entende e a apoia. Ela se sente a pessoa mais solitária do mundo. Um encontro casual as une. Elas querem cantar. Elas querem fazer música. Juntos, elas sentem que podem ter uma chance.

E então a estreia mais aguardada por mim, Carole & Tuesday, novo anime do estúdio Bones. Parceria de Shinichiro Watanabe (Cowboy Bebop) e Aya Watanabe, famosa escritora de doramas e cinema.

A história se passa dessa vez em Marte e (obviamente) foca em duas garotas, Carole e Tuesday, que possuem um sonho em comum: viver de música.

De início já é usado um clichê que pode ser adorável se usado da maneira correta: a colisão de dois mundos. Tuesday foge de sua família rica e de um mundo quase como de contos de fadas em busca dos seus objetivos, enquanto Carole vive uma vida suburbana, pulando de trabalho em trabalho, intercalando com seus momentos tocando nas ruas de Alba City e perseguindo seu sonho.

Embora seja uma obra ambientada no futuro, não me pareceu haver nada muito exagerado, tentando criar um universo novo peculiar e cibernético, apesar disso estar presente aqui e ali. Aliás, acho que até o visual de alguns personagens é um pouco ultrapassado (apenas um em particular, pra ser sincero). Porém, o que me chamou atenção mesmo é a preocupação em representar o multiculturalismo que fez morada em Marte, um detalhe curioso já que é bastante incomum ver isso sendo usado em anime de uma forma mais séria, mesmo em tempos de globalismo. Não consigo dizer se isso é feito com o intuito de entregar uma obra de mais apelo mundial ou se é apenas a assinatura já conhecida de Shinichiro Watanabe, mas é algo muito bem-vindo.

Outro fator curioso é a parte musical: músicas compostas em inglês e cantadas por vozes estrangeiras. Não consigo lembrar de outro anime que tenha feito isso, mas posso dizer que foi uma boa experiência, pois há um bonito momento musical já nesse primeiro episódio, o qual tem como referência (e título): Cyndi Lauper e seu grande hit dos anos 80, “True Colors” (uma das minhas músicas prediletas dessa época, à propósito), que casa muito bem com a temática inicial do anime sobre encontrar quem você é e deixar o mundo vê-lo e faz um paralelo com a própria vida da cantora.

Me pergunto se haverão mais referências ao mundo pop musical atual, seria interessante ter uma história sobre o futuro que cita o legado de grandes estrelas de hoje que tem potencial para se tornarem lendas.

Enfim, sinto que divaguei demais…

Carole & Tuesday possui animação decente, visual carismático e estiloso e promete uma grande aventura em busca de grandes sonhos.

Acho imperdível!