QUE ANIMES YURI PODEMOS ESPERAR

QUE ANIMES YURI PODEMOS ESPERAR

Se alguém ainda estiver desatualizado, primeiro informo que foi anunciado o anime de Yagate Kimi ni Naru, o que é o maior responsável por eu escrever esse artigo. Explico porque esse anime em particular receber um projeto de animação é tão importante para o gênero. Muita gente no ocidente pode não saber, mas essa é a série yuri mais popular no Japão no momento se não contarmos coisas que não chegam a ser explícitas, como Yuru Yuri. Tanto que um anime já era esperado a algum tempo, mas finalmente temos a confirmação.

No ocidente com certeza Citrus deve ser o anime mais popular, e é popular o suficiente no Japão, mas YagaKimi supera ele, até entrando em tops da Oricon, o que é difícil considerando o quão nicho o gênero yuri é. Além disso, sai em uma revista não yuri e possui apoio da Kadokawa, que é uma empresa grande na mídia. O estúdio escolhido para animação, embora pequeno, tem tido obras de qualidade estável até agora. E o título saiu em terceiro lugar numa votação japonesa sobre qual mangá deveria ganhar uma animação.

Portanto dá para entender porque fãs de yuri esperam ser essa a série a aumentar um pouco a visibilidade do gênero e talvez influenciar novos animes.

Mas bom, esse não foi o motivo de eu escrever esse texto. A questão é que temos tido ultimamente animações yuri sendo produzidas, seja totalmente yuri ou com forte subtexto, o que indica que talvez o gênero ainda cresça mais. Considerando que YagaKimi não será o último nessa onda (como torço), resolvi tentar prever que outras obras poderíamos esperar ter adaptação considerando seu conteúdo. Naturalmente, essa não é uma previsão exata, e considerando o quão nicho o gênero é, talvez nenhum desses na verdade receba adaptação. Mas ei, talvez seja uma boa oportunidade para conhecer títulos novos.

Sendo assim, primeiro de tudo:

Adaptações Garantidas:

Nessa categoria eu coloco… 0 títulos. Na verdade, se fosse mês passado, eu colocaria YagaKimi aqui, visto que era a única série que eu tinha certeza que iria ganhar adaptação eventualmente. Se fosse alguns anos antes, eu colocaria Citrus, outra que a própria editora tinha interesse em transformar em anime. Mas hoje, infelizmente, não há nenhuma série que eu diga com certeza que será adaptada no futuro. O que novamente mostra o quão nicho o gênero é. Dito isso:

Boas Chances de Adaptação:

E aqui alguns meses atrás eu colocaria Happy Sugar Life, visto que era um mangá popular com um tema que chamaria atenção. Exceto que Happy Sugar Life já está recebendo uma adaptação, e para a próxima temporada, então já estou atrasado nisso. Porém, considerando esse título, há outro que me vem em mente, talvez tão popular quanto:

Murciélago

Se não considerarmos somente romance, Murciélago é provavelmente um dos mangás yuri mais vendidos no Japão. Também possui um tema bem fácil de chamar atenção tanto de público fã de yuri quanto do público geral. Na verdade, seu tema principal pode até afastar o público fã de yuri por aqui.

Murciélago segue uma psicopata trabalhando para o governo na captura de outros psicopatas. Muitas vezes é comparado com Hellsing pela protagonista ser um monstro que vive fazendo graça com a situação. Exceto que Kuroko, a protagonista, é muito pior que Alucard. Ela não é anti-heroína: ela é realmente um monstro difícil de simpatizar com. A história é muito bem escrita, porém, o que é raro em histórias do tipo. E considerando que yuri não é tão desenvolvido como romance, o roteiro e o humor negro é o que na verdade me conquistou no mangá.

O yuri vem do fato que o autor é fã do gênero, ao ponto onde ele criou a tag japonesa que todos usam para recomendar mangás “yuri network” (#百合ネットワーク). De fato, foi sugerido para ele pelo editor mudar a protagonista do mangá para um homem, tendo assim mais chances de sucesso, o que ele recusou falando que “se não for yuri, não tem sentido”. Kuroko é lésbica e aparece fazendo sexo com outras mulheres no mangá. Além dela, a maioria das personagens femininas igualmente só tem interesse por outras mulheres.

A dificuldade em animar Murciélago vem do fato que é muito dark. Não considero do tipo apelativo, mas há cenas fortes. E enquanto as cenas de sexo podem ser facilmente cortadas, com as de violência não é o mesmo caso. Há uma cena envolvendo sexo que seria extremamente desconfortável animar, mas é importante para a história. Porém, o anime não chegaria lá sendo um cour (12 episódios). De toda forma, uma animação de Mahou Shoujo Site existe, e aquilo é claramente pior, então acredito que as chances ainda são boas. Infelizmente, provavelmente não receberia uma boa animação, o que seria triste.

Nettaigyo wa Yuki ni Kogareru

Admito que colocar Nettaigyo como “boa chance” já é arriscado. A verdade é que é uma série relativamente nova e não sei o quão popular é com o público em geral, mas é uma das séries mais popular com o público fã de yuri no Japão.

Nettaigyo segue a protagonista Konatsu Amano se mudando para uma cidade nova onde não conhece ninguém e encontrando uma garota solitária chamada Koyuki Honami, que a faz entrar para o clube de aquário na escola. A arte do mangá é provavelmente um de seus maiores atrativos, mas o relacionamento entre as duas protagonistas também é muito bem escrito e cativante.

O motivo pelo qual acredito que possa ganhar uma adaptação no futuro é por outras histórias parecidas já terem sido adaptadas. A verdade é que o mangá não é vendido como yuri, mas como “girlship”. O que girlship significa? Eu não faço a mínima ideia, porque o termo foi criado pela revista do mangá somente para ele. Pode ser “girls friendship” (amizade entre garotas) ou “girls relationship” (relacionamento entre garotas). Mas o mangá recebe a tag yuri no pixiv apesar de não a receber no site da própria editora. O nome traduzido também possui uma certa conotação romântica. Basicamente pode ser traduzido como: “Um Peixe Tropical Anseia Pela Neve”. O que isso significa? Bom, O “Natsu” do nome “Konatsu” é o kanji de verão, ou seja, tropical, e o “Yuki” de “Koyuki” é o kanji de neve. Ou seja, o título pode ser lido como “Konatsu anseia por Koyuki” e o kanji de “anseia” pode ser lido como “se apaixona”. Na verdade é mais complexo que isso, mas não importa. O que quero dizer é que o mangá não é exatamente uma história de romance explicita, sendo mais o que podemos chamar de “subtexto romântico”. Ou seja, é o tipo de história mais facilmente adaptada, e a atmosfera ajuda nesse sentido. Mas ainda é preciso ver se sua popularidade vai continuar a crescer, visto que no momento só há dois volumes. Então precisamos esperar pelo menos até 2019 para ter material o suficiente.

Série de Kase-san

Kase-san já está recebendo um anime este ano, que primeiro passará nos cinemas japoneses e depois sairá em Blu-Ray. As chances de Kase-san devem-se puramente ao fato de que uma animação já existe e há pessoas interessadas em continuar o projeto, inclusive empresas envolvidas. O anime também tem uma certa visibilidade no ocidente, o que o twitter dele reconhece postando algumas mensagens em inglês. Ou seja, dependendo da recepção do especial, consigo ver uma série de tv sendo considerada.

Uma apresentação rápida: Kase-san se trata de uma série de mangás onde a protagonista Yamada se apaixona e começa um relacionamento romântico com a Kase-san, uma menina popular na escola. A série é conhecida por não ter quase nada de drama. É basicamente um slice of life com um casal yuri explícito, e isso que chama atenção, visto que drama é costumeiro no gênero. A revista Hirari na qual o mangá foi originalmente publicado cessou publicação, mas a autora se esforçou para continuar por outras formas, e a série é ativa até hoje.

Futaribeya

Eu tô me esforçando para essa não ser uma lista de séries subtexto, o que no fim são as mais fáceis de receber adaptações, mas acho que Futaribeya merece atenção especial pelo mesmo motivo de Nettaigyo: é muito popular com o público fã de yuri no Japão. Eu não estou aqui para decidir o que é ou não yuri (e acredite, é uma das piores discussões para se ter sobre o assunto), mas acredito que se o público reconhece a série, é válido. E ei, Futaribeya é na verdade bem legal, e acho válido considerar como tal.

A série segue duas protagonistas que dividem o mesmo apartamento e quarto, e é basicamente isso. Uma das protagonista é claramente atraída pela outra e a outra provavelmente não teria problema algum em começar um relacionamento romântico. Mas apesar disso, elas não possuem esse tipo de relacionamento, e pelo jeito não começarão um ao menos até o mangá acabar. O que é engraçado, pois ambas já se comportam como um casal. Há pelo menos três cenas de beijo colocadas na história com a maior naturalidade, como se aquilo fosse comum no dia a dia delas. A questão é que o mangá parece tratar que a relação das duas é romântica, mas não sexual. Apesar de personagens secundárias terem uma relação romântica e sexual.

De toda forma, novamente, exatamente por ser subtexto, eu acho muito provável Futaribeya ganhar adaptação animada. Além disso, o mangá sai na mesma revista de Konohana Kitan, que já ganhou adaptação recentemente. De fato, eu não coloco esse em uma posição maior que “boas chances” por pura covardia.

Shinmai Shimai no Futari Gohan

Lembra o que falei sobre não julgar o que é yuri ou não? Bom, eu pessoalmente não consigo ver essa série como yuri. São duas irmãs adotiva morando juntas que comem coisas, e é isso. Porém, não só o público reconhece como tal como a própria editora e editor promovem ele como yuri, então quem sou eu pra negar. Mas é, é um mangá sobre garotas comendo comida e isso é popular por algum motivo, então tem boas chances.

Kirara

Mangás da Manga Time Kirara estão sempre sendo adaptados. Há sempre pelo menos um por temporada, então só por estar nela já é um grande primeiro passo para qualquer série. É normal a maioria desses mangás possuir algum tipo de subtexto, então vou ignorar a maioria, senão só essa sessão seria maior que pelo menos dez artigos deste blog juntos. Há um em especial que quero falar, porém.

Swap Swap

Eu já falei sobre esse na minha recomendação de mangás, então não vou falar sobre de novo. A chance de ganhar um anime vem do fato que o mangá parece razoavelmente popular. Recentemente (literalmente hoje enquanto estou escrevendo, mas provavelmente será algumas semanas atrás quando postar) a autora anunciou que o mangá está recebendo uma segunda tiragem, o que significa que a primeira provavelmente já vendeu e há demanda para mais. O mangá tem três volumes e um quarto lançará ano que vem, então é um bom momento para decidir fazer uma adaptação, visto que quatro volumes é o número que muitos mangás Kirara possuíam quando ganharam anime. Swap Swap é realmente um dos mangás mais divertidos da revista, então espero que isso ocorra.

Yuri Hime

Após recentes adaptações de Citrus, Netsuzou Trap e Tachibanakan, é possível concluir que há um certo interesse pela revista Yuri Hime em adaptar suas séries, mas sendo esse o caso, qual é o título mais provável de receber adaptação? Bom, considerando que dois dos mencionados são curtas, não se pode desconsiderar que esse possa ser o modelo que mais pretendem investir. Por outro lado, isso significa que se algo for adaptado para uma série convencional, o título deve ser popular na revista e com uma boa chance de promovê-la. Sendo assim, há um em particular que se destaca.

Watashi no Yuri Wa Oshigoto Desu!

Recentemente a revista se tornou mensal e com isso diversos novos títulos começaram a ser publicados. Porém, como é comum, a maior parte deles já acabou com um ou dois volumes e poucos tiveram destaque. Destes um em particular cresceu como um dos mangás mais populares da revistas. Watashi no Yuri Wa Oshigoto Desu é um mangá pela autora Miman. A história segue a protagonista Hime, que após provocar o acidente de uma garota desconhecida na rua, é obrigada a trabalhar em um Café temático. O Café possui como tema “yuri”, ou melhor, tropes clássicos de Class S. O que significa que Hime precisa atender os clientes enquanto seguindo um teatro sobre garotas nobres com relações que parecem ter saído de Maria Sama Ga Miteru. O problema é que Hime e as outras garotas começam a construir dramas próprios, e esses dramas começam a se misturar ao faz de conta.

Apesar de parecer uma comédia boba a primeira vista, a história possui temas bem interessantes, todos ligados ao fato de que todos estamos agindo como em um teatro a todo momento. A própria protagonista vive fingindo ser outra pessoa para agradar os outros e chegar mais perto de seu objetivo. O fato de que é uma história mais low key no fator yuri (embora ainda presente), pode ser o que ajudar sua popularidade. Mas considerando isso…

Tsurezurebiyori

Outra história que recentemente passou a chamar atenção na revista, mas o que me faz imaginar a possibilidade de uma animação do título é o fato de Yuru Yuri ainda ser a série mais popular da revista, e a que ajudou em aumentar seu número de leitores.

Assim como Yuru Yuri, Tsurezurebiyori é um slice of life. Ao contrário de Yuru Yuri, o foco não é comédia, mas o que é conhecido por japoneses como iyashikei, um estilo de história que te faz se sentir bem. A série acompanha o dia a dia de quatro garotas estudantes, e não há muito fora isso. Claro, yuri existe, mas até o momento de uma forma bem leve, meio como Yuru Yuri é. Porém, sendo uma história um pouco mais séria, é possível que evolua para algo mais. Isso vai depender da quantidade de volumes que o mangá ganhará, assim como também depende disso uma provável adaptação. Um dos problemas em animar essa série é que o traço é um de seus principais atrativos. E isso é algo difícil de replicar, principalmente se considerarmos o histórico de adaptações da revista.

Kadokawa

Supondo que YagaKimi seja um sucesso comercial (o que, infelizmente, duvido que aconteça), há de se esperar que Kadokawa tente animar mais dos títulos yuri que possui. Ou talvez YagaKimi seja uma prova que a empresa está interessada em investir mais no gênero. Sendo assim, dá para se considerar que outros títulos publicados por uma das revistas da empresa possam sendo adaptados.

Akarui Kioku Soushitsu

Também conhecida como Cheerful Amnesia, é outra série que se encontrava em meu post de recomendações anterior, então apresentação não é necessária. Amnesia é publicada na Cune, a resposta da Kadokawa para a Manga Time Kirara. Cune sai um pouco dos padrões Kirara em suas séries, e ultimamente várias dela são explicitamente yuri. Dentre essas, Amnesia parece estar recebendo atenção especial. Recentemente a Revista Cune lançou uma antologia de curtas yuri chamada Yuri Drill. A capa dessa revista foi desenhada por Tamamusi, autora de Amnesia. Como a Eclair, outra antologia yuri da Kadokawa, teve capa desenhada pela autora de YagaKimi, e a mesma foi usada para promover a antologia, dá para imaginar que Tamamusi e Amnesia já são referência do gênero para a Cune. O que naturalmente significa que seriam escolhas óbvias se a revista decidir investir nele.

Ano Ko ni Kiss to Shirayuri wo

Também conhecido como A Kiss and a White Lily. O que chama atenção aqui é o fato de a série estar ativa desde 2013 e possuir já 9 volumes. Pode não ser um grande feito, mas a verdade é que a maioria das séries yuri acabam com até 4 volumes. AnoKiss consegue contornar o problema de romances que enrolam por introduzir várias personagens e ir trabalhando diferentes casais por volumes. Alguns criticam a falta de foco no casal principal, mas esse é um formato ideal para uma adaptação que não vai poder cobrir toda a história. E sendo uma história tão longa, é de se imaginar que sua popularidade é satisfatória o suficiente para não ser cancelada.


Séries Longas

Mangá é uma mídia difícil de prevalecer, pois a maior parte da revista vai cortar suas histórias menos populares. Sendo assim, podemos deduzir que histórias que existem por muito tempo devem ter uma considerável popularidade. É provável que histórias muito longas tenham conseguido popularidade por si própria, e o fato de que nunca receberam uma adaptação até então sugere que há um motivo para isso. Às vezes falta de interesse, às vezes resistência dos autores. Mesmo assim, não é incomum que séries do tipo recebam adaptação, e de fato, é mais provável que uma completamente nova, já que a maioria dessas não vai sobreviver por muito tempo.

Himawari-san

Eu na verdade acho curioso que Himawari-san nunca recebeu uma adaptação. A série é de 2009, e, o mais importante, possui o formato perfeito para uma animação. Novamente, a história é mais um slice of life sobre Himawari, a dona de uma livraria e Matsuri, uma estudante que um dia se confessa para ela. Himawari não exatamente aceita a confissão de Matsuri (o que é até esperado, considerando a idade de ambas), mas a garota diz que ama tanto Himawari que decide continuar frequentando a livraria. Não há exatamente um romance, e esse tipo de história pode acabar escolhendo a rota mais decepcionante, mas considerando que a autora já fez yuri antes, é possível que ela escolha tratar isso melhor.

Na verdade também podia considerar essa uma série da Kadokawa, já que é da mesma revista de AnoKiss. Só não o fiz porque…sei lá.

Otome no Teikoku

Na verdade, eu duvido que esse ganhe adaptação, mas não há muitos mangás do gênero com mais de 100 capítulos, então é bom considerar. A verdade é que Otome no Teikoku esteve perto de ser cancelado recentemente. Foi dado ao autor um ultimato que se ele não aumentasse as vendas, a história seria cancelada, o que o fez ir implorar aos fãs no twitter. Aparentemente deu certo, pois a história passou do capítulo prometido ser o último. É difícil mangás se recuperarem de cancelamentos, então não dá para subestimar sua força. Mas também é provável que só viva o suficiente para o autor terminar o que pretende.

Um problema com a adaptação de Otome no Teikoku é que o mangá só se torna yuri lá pelo capítulo…60, acho. Antes disso é uma série com subtexto e fanservice padrão. Além disso, novamente, a arte é um de seus maiores atrativos. A história segue um grupo de garotas no seu dia a dia da escola. No começo flertando entre si, mas chegando ao ponto onde várias delas chegam a entrar em um relacionamento.

Apesar de ter escrito tudo isso, temo que esse post seja mais uma visão do gênero no Japão do que previsões que vão se concretizar. É provável que nada do que eu coloquei aqui ganhe anime, assim como é provável que outras séries que nem considerei ganhem. A indústria de animes é meio imprevisível, e às vezes popularidade não é tudo. Do tempo que comecei a escrever até agora que estou terminando foi anunciada a adaptação de Oshi ga Budoukan Ittekuretara Shinu, que eu estava considerando se colocaria aqui ou não (provavelmente não, pela falta de conhecimento sobre o título). Há muito que pode acontecer. Talvez Roid, o novo mangá sci-fi da Yuri Hime, fique popular o bastante. Talvez yuri com vampiros fiquem popular seguindo Tonari no Kyuuketsuki-san e faça com que Kyuuketsuki-chan to Kouhai-chan seja adaptado. Talvez Urasekai Picnic chame bastante atenção. Talvez Yuri Hime adapte a série mais popular no seu pixiv: Model-chan to Jimi Mane-san. Talvez a nova série promissora Hana Ni Arashi continue aumentando a popularidade após o lançamento de seus demais volumes. Assim como talvez menos yuri seja adaptado daqui para a frente. Também seria interessante mais séries originais. Talvez chamando autoras proeminentes que não possuem séries grandes o suficiente para serem adaptadas, como Takemiya Jin.

Uma coisa é certa, porém. Só podemos torcer para YagaKimi ser uma boa adaptação e conseguir fazer o que nenhuma outra adaptação de yuri até agora conseguiu: deixar o gênero ainda mais popular.

Raizon não sabe o que escrever aqui, então essa descrição provisória provavelmente é a definitiva.

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notify of
avatar
wpDiscuz
%d blogueiros gostam disto: